fbpx
Fechar
Diário de viagem, jericoacoara, Lagoa Azul, Lagoa do Paraíso, Viagens

Conhecendo o Paraíso: Jericoacoara, Parte II.

03 Maio 2014

Diário de Viagem: Terça, 29.04
Preparem-se, esse post vai ficar enorme…

Amanhecer em Jeri foi tudo de bom. Sinal que a paz e a tranquilidade permaneciam em minha vida. Ainda estava no paraíso. E numa terça-feira que era pra ser de muito trabalho. Pra que refúgio melhor?

Acordamos e já fomos tomar café-da-manhã, na pousada mesmo. Lugar aconchegante, com comida tipicamente cearense: Tapiocas, cuzcuz, bolo de milho. Além de café, ovo, queijo, pão carioquinha, sucos, iogurte, etc. Me digam se essa pousada não é uma fofura?

Pegamos novamente “pau-de-arara”, porque nossa turma era bem grande (9 pessoas) e compensa, financeiramente, bem mais do que pagarmos por 2 buggys. Além disso, vai todo mundo junto, conversando e se divertindo. Dessa vez, o motorista foi um nativo chamado Arteiro, que nos levou pra conhecer os pontos turísticos, incluindo as lagoas mais famosas, praias, dunas, etc. O valor do passeio não sei ao certo, porque não fui eu quem paguei (fui bancada por mamis e Dadá, huhu). Mas peguei o telefone dele, claro. Posso passar pra quem tiver interesse. Procurem-no, ele é ótimo. Além de ser guia, faz questão de tirar várias fotos. Muitas em que eu saí, foi ele quem tirou!
A paisagem é linda demais. Por cada cantinho que passava, fazia um clique.
A primeira parada foi na árvore da preguiça. Tirei as duas fotos típicas, né? Uma deitada nessa “rede”, e outra em cima da árvore. Iria perder essa oportunidade?
A segunda parada foi na algoa azul. Estava um pouco seca, mas não perdeu sua beleza. Ficamos em torno de uma hora por lá. Deitei nas redinhas que ficam dentro da lagoa, relaxei, tomei um solzinho (pra variar). As águas de Jeri são tão claras, que conseguimos ver nossos pés,e os peixinhos também.

Depois de a galera tomar umas cervejinhas no local, fomos pra lagoa mais famosa de todas: Lagoa do Paraíso. Ela é MARAVILHOSA. E demos tanta sorte. O dia estava mega nublado, mas por onde chegávamos, o sol abria e o céu ficava azul.


Por volta das 13:00, já estávamos morrendo de fome. Resolvemos pedir uns petiscos,  pra enganar a barriga. Almoçar lá não dava, porque é uma terra basicamente direcionada pros Gringos. TUDO CARO! Tirei até foto do cardápio pra vocês conferirem…

E pensem num lugar lindo, calmo, com uma vibe MARAVILHOSA? É Jeri… Não é a toa que recebe turistas do mundo inteiro. E tem gente que vai e não volta mais pra casa.

A última parada foi nas dunas. Deus estava presente conosco o tempo todo. Pensem num céu azul. Era inacreditável. Foram MUITAS fotos, mas selecionei minhas preferidas. Tentem sentir o vento batendo no rosto. A única coisa que se ouvia era a nossa própria voz.

Estava com minha família, e foi super divertido. Dessa vez, meu namorado não foi, mas tentei fazê-lo presente, sempre em pensamento. Como queria que ele estivesse lá… (Continua)

Diário de viagem, jericoacoara

Conhecendo o Paraíso: Jericoacoara, Parte I.

02 Maio 2014
Diário de Viagem: Segunda, 28.09

Como muitos de vocês devem saber, viajei por 3 dias pra Jericoacoara, o paraíso do Ceará, localizado a 300km de Fortaleza. Dificilmente conheço alguém que nunca ouviu falar sobre. Fiquei encantada com tudo que vi por lá. Já havia ido, quando era pequena, mas não lembro de absolutamente nada, por isso senti como se estivesse vivendo tudo pela primeira vez.

Não gravei vlog, mas fotografei os mínimos detalhes, e postarei aqui no blog, por partes. Vamos ao 1º dia, né? Quero contar tudo pra vocês…
Saímos de Fortaleza na segunda-feira, dia 28 de abril, por volta de 7:40, rumo a Jijoca, local que é parada obrigatória pra quem vai de carro, pois nem todos os veículos são autorizados a entrar em em Jeri. Na verdade, quase nenhum. Quem vai no seu carro próprio, deixa-o em estacionamento no município, e pega uma espécie de carro semelhante ao “pau-de-arara”, para ir até Jeri. Demoramos em torno de 4 horas de viagem, depois mais 40 a 50 minutos.
1. Estrada de terra, totalmente sem estrutura, cheia de animais.
2. Meu irmão no “pau-de-arara”, sentindo a emoção.
3. No meio do balançado todo, conseguimos tirar uma fotinha.
4. Depois de muito mato, estilo Safari, finalmente conseguimos ver as dunas.

É bem inviável ir direto para o parque nacional de Jericoacoara, pois as estradas são confusas e sem estrutura. Além de você se perder, vai acabar com a suspensão do seu carro. Por isso, a maioria opta por deixar num estacionamento. Nós escolhemos o do Joel, que fez um preço bacana para nos levar até lá, juntamente com as diárias para deixar nosso carro no espaço dele, por 3 dias. Ele cobrou R$80 para nos deixar, e saiu esse preço porque éramos 9 pessoas, mas ainda tem a diária no estacionamento, que custa R$10.

Chegamos em Jeri por volta de 12:30 e fomos direto pra pousada, chamada Casalice. A estrutura é bem bacana, e é muito bem localizada. Ficamos praticamente no centro, perto de tudo. Isso é muito importante, pois fazemos a a maioria das atividades a pé, principalmente para visitar locais mais próximos, para jantar, etc. A diária na Casalice nos quartos mais antigos (que foi o que ficamos), é de R$180 pro casal, com café da manhã. Nos quartos novos, custa R$250. A diferença é o espaço, que é maior, e a cama-box. Para mais informações sobre a pousada, clique aqui. Claro que tem mais pousadas, com preços beeeeem mais baratos, mas estou falando sobre a que fiquei e conheci.

Guardamos nossas coisas e fomos direto almoçar. Escolhemos um restaurante chamado Nativas. Comida boa, bem caseira, mas demorou bastante pra chegar. A refeição saiu em torno de R$25, com suco. Como estava com mais 8 pessoas, as refeições não eram pedidas de forma individual. Pedimos comida, com muita fartura mesmo, afinal, estávamos famintos. Só sei que na hora do pagamento, saiu mais ou menos nesse valor. Depois de “encher o buxo”, entrei numa loja que tem em frente, em busca de um doce. E não é que é uma cafeteria mesmo? Chama-se Ponto Doce. Tudo muito gostoso. O docinho de leite ninho então… Nem fala!

1. Primeira impressão sobe Jeri :O
2. Placa do local que almoçamos no 1º dia
3. “Mocca” da loja Ponto Doce.
4. Os docinhos “tradicional” e “leite ninho”

Depois que comemos, não perdemos tempo. Fomos conhecer Jeri, caminhando até a Pedra Furada, um dos pontos turísticos mais conhecidos da região. Fiz alguns cliques de elementos que me chamaram atenção. É tudo muito charmoso e organizado por lá…

Encontrei por lá também, no meio dessa caminhada, as colinas dos Teletubies. Iguaizinhas! Quem lembra?  haha. Aproveitei pra fazer vários cliques. Meu irmão e minha mãe me ajudaram. Gostaram?

Deus preparou esse céu perfeito pra sair nas minhas fotos, tenho certeza. Chegar e ser recebida dessa maneira, é pra querer nunca mais voltar pra casa, né? E nessa última foto, ao fundo, tem a pedra furada. Depois mostro ela de outro ângulo.

Logo após ter assistido ao pôr-do-sol mais lindo do Ceará, voltamos para a pousada, tomamos banho e fomos jantar no restaurante Mosquito Blue, localizado dentro de um hotel chamado My Blue, que é maravilhoso. Sentamos à beira-mar, ouvindo MPB ao vivo, foi incrível. Jeri, você me conquistou… (Continua!)

Topo
Instagram @viihrocha